Agosto 09 2010

 

 

 

 

O Museu da Pólvora Negra em Barcarena possui uma peça que pela sua beleza me chamou a atenção, trata-se de um painel de azulejos do século XVIII, fazia parte da desaparecida capela da Fabrica da Pólvora, e tem o recorte de quem ladeava uma porta (foto 1).

Como o manuseamento de materiais explosivos é um risco elevado, tinha-se tendencia a invocar o divino de maneira a que as vidas dos trabalhadores estivessem salvaguardadas.

Assim são quatro os santos representados no painel, estão de pé sobre pedestais e empunham os ícones que os identificam. Temos Santa Catarina em cima no lado esquerdo é invocada em doenças, perigos e diversas aflições. Do outro lado à mesma altura está Santo António, com o livro (evangelhos) onde se senta o menino. Em baixo à esquerda está Santo Adriano (foto 2), soldado romano, com a espada do martírio na cabeça, é invocado contra a morte súbita. No lado oposto, está Santo André (foto 3) com a cruz do suplicio um santo guerreiro e curador.

A beleza da obra junta-se ao significado por traz de toda a simbologia, o facto de a todos os minutos estes trabalhadores arriscarem a sua vida, e imagino o que isso representava para os próprios e para as suas famílias diariamente, quando partiam caminho do trabalho.

Esta informação foi retirada de uma ficha do Museu da Pólvora Negra.

publicado por blackcrowes às 11:55
Tags:

"O fim de uma viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." - Saramago
mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
19
21

22
23
25
27
28

29
30


pesquisar
 
Visitas desde Fevereiro 2011
free counters
blogs SAPO