Abril 23 2012

 

 

 

 

 

 

 

 No cimo do forte a amarelo a casa do Governador

 

Vista do Forte da Graça para Elvas

 

“O Forte da Graça, delineado pelo conde de Lippe em 1762, foi construído entre 1763-92 sob a direcção do engenheiro francês Etienne e do general Valleré, elevando-se as despesas da construção a 767 contos.

O forte é constituído por um quadrado de 150 metros de lado, tendo no centro um reduto circular com três ordens de baterias em casamatas. O forte declive das esplanadas, a grande altura da muralha do revestimento da escarpa e contra-escarpa, as galerias seteiradas concorrem para preservar o forte de qualquer ataque imprevisto.

Do terraço (388 metros de altura), magnifico panorama, cheio de austeridade e de grandeza. A Este divisa-se a serra de Albuquerque, as estradas para Portalegre, Campo Maior e Badajoz, assim como estas duas povoações e mais para a esquerda a serra de S. Mamede. Ao Sul a serra de Olivença, a estrada que leva a esta vila, que no horizonte se vê branquejar, o Guadiana, a casaria de Elvas, a serra da Falcata, Monsaraz, e mais próximos os arcos do Aqueduto, o padrão das linhas de Elvas e a ermida de Santo Amaro. A Oeste finalmente Barbacena e Monforte, e a serra da Malafa, onde os franceses colocaram as suas peças para bater Elvas e o forte da Graça. Os campos muito cultivados desse lado, com terras dum vermelho vivo, são cobertos de olivedos e de searas.” No primeiro guia de Portugal de 1924 – edições Gulbenkian.

 

Visitar esta obra-prima da arquitectura militar é algo marcante. Para além da imponência esmagadora da sua construção, que denota força e resistência como de qualquer sistema defensivo que se preze, a sua harmonia e beleza de linhas é por outro lado inesquecível.

Pena o estado de abandono em que se encontra este monumento único e que aparenta poder ter tantas valências se restaurado…visitem-no, está apenas a um quilometro a Norte de Elvas

publicado por blackcrowes às 17:32
Tags:

Abril 17 2012

 

 O Monte Suimo e a sua posição vantajosa como miradouro

 

 Marco geodésico - no horizonte a mancha escura é o Monsanto

 

 Vista para a Serra da Carregueira

 

 No horizonte é visivel o mar - Oeiras

 

 

Recentemente vi publicado no blog –  http://tudodenovoaocidente.blogs.sapo.pt/ de Cortez Fernandes um texto sobre o Monte Suimo.

Com 290 metros, e localizado na freguesia de Belas, dentro do perímetro do quartel da Carregueira, tem estado desde sempre presente na minha vida.

Desde miúdo que me lembro de partir a correr de Mira Sintra até ao campo de golfe de Belas, em treinos de atletismo memoráveis, que tinham nesta pendente uma subida bem puxada.

Mais tarde em passeio, por diversas vezes lá subi, afim de ver a fantástica vista que de lá se têm, desde a Serra da Arrábida até à de Sintra, e grande parte da zona saloia… inesquecível.

Mais recentemente com a mudança de residência tenho este monte a entrar-me pelas janelas de casa, como pode ser visto na primeira fotografia.

Sobre a história do monte e antiquíssima importância das suas minas consultem o blog já citado.

publicado por blackcrowes às 14:33
Tags:

Abril 10 2012

 

 

 

 

 

O aqueduto da Amoreira em Elvas, é uma marca inconfundível desta cidade. Tem 8,5 quilómetros de extensão, 843 arcos, cinco arcadas e 31 metros de altura.

 

Com a sua construção iniciada em 1537, pelo arquitecto Francisco de Arruda a mando de D. João III, as obras foram interrompidas e continuadas em diversas ocasiões, só se considerando finalizado em 1620.

 

Segundo Ramalho Ortigão - "Várias gerações sucessivas acarretaram para esta construção os materiais, e lentamente, pacientamente, foram colocando pedra sobre pedra, para que um dia a água chegasse a Elvas, e bebessem dela os netos dos  netos daqueles que de tão longe principiaram a recolhê-la e a canalizá-la. Uma tal empresa é a humilhação e a vergonha do nosso tempo, incapaz de pagar com igual carinho ao futuro aquilo que deve à previdencia, aos sacrificios e aos desvelos do passado."

 

Monumento nacional desde 1910, está considerado o maior aqueduto da Península Ibérica.

publicado por blackcrowes às 15:07
Tags:

"O fim de uma viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." - Saramago
mais sobre mim
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
Visitas desde Fevereiro 2011
free counters
subscrever feeds
blogs SAPO