Março 10 2015

18415_934010006610591_6671711034920501315_n.jpg

 

10360919_934010116610580_7852061637501864813_n.jpg

 

11013476_934010059943919_3814302750656432723_n.jpg

 

10991076_934010119943913_1168284656414589721_n.jpg

 

10991356_934010109943914_1511519902108113047_n.jpg

 

   Consultados livros e sites sobre o assunto, descobri a presença romana na Serra da Carregueira, nomeadamente a estrada e minas de granadas do Monte Suimo.
   Já há alguns anos que tentava descobrir o preciso local das minas, por conversa com um amigo que já lá tinha ido, mas também por procurar em imagens de satélite, onde poderia ser, pois estou a falar de um grande buraco escavado no solo, que veio a originar um vale ainda grande e inteiramente arborizado (as copas das árvores não atingem o topo do buraco escavado). Após 2 ou 3 tentativas fiquei com a certeza que só poderia ser num sítio e lá fui acompanhado pelo meu irmão á procura das minas romanas de granadas da serra da Carregueira.
   As granadas foram exploradas nesta zona à cerca de 2000 anos, sendo esta actividade já referida por Gaius Plinius Secundus (23-79dC) e outros autores antigos. Aquando do corte da rocha ficou visível uma entrada de gruta pela qual entrámos, devido a não termos outra luz que não a dos telemóveis apenas avançámos cerca de 8 metros, aqui ficam as fotos para terem uma ideia…
   E para premiar a minha perseverança na tentativa de descobrir as minas fui premiado com a surpresa de descobrir um amiguinho no tecto da gruta… 
Mais informação sobre o local vejam - http://www.gem.pt/joomla/index.php/actividades/montanhismo/trekking/152-caminhada-serra-da-carregueira-e-quinta-da-fonteireira

 

 

publicado por blackcrowes às 16:40

Fevereiro 26 2013

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

Desta vez a caminhada escolhida foi através da Serra da Carregueira, com partida e chegada em Belas, foram 8 Km de bonitos e verdejantes caminhos florestais.

Subimos e descemos dois vales acompanhados de diversos cursos de água, incluindo a ribeira do Jamor, com passagem junto ao Campo de Golf do Lisbon Sports Club, a alguns belissimos palacetes privados, a uma estrada romana, e a moinhos e casais antigos.

A água foi sempre companheira presente, ou não não esteja este Inverno a ser chuvoso. Para além disso a Serra da Carregueira é famosa pelos seus aquiferos...

Se quiserem vejam o meu anterior "post" sobre a barragem romana de Belas - http://olharescruzados.blogs.sapo.pt/29960.html 

publicado por blackcrowes às 16:05

Abril 17 2012

 

 O Monte Suimo e a sua posição vantajosa como miradouro

 

 Marco geodésico - no horizonte a mancha escura é o Monsanto

 

 Vista para a Serra da Carregueira

 

 No horizonte é visivel o mar - Oeiras

 

 

Recentemente vi publicado no blog –  http://tudodenovoaocidente.blogs.sapo.pt/ de Cortez Fernandes um texto sobre o Monte Suimo.

Com 290 metros, e localizado na freguesia de Belas, dentro do perímetro do quartel da Carregueira, tem estado desde sempre presente na minha vida.

Desde miúdo que me lembro de partir a correr de Mira Sintra até ao campo de golfe de Belas, em treinos de atletismo memoráveis, que tinham nesta pendente uma subida bem puxada.

Mais tarde em passeio, por diversas vezes lá subi, afim de ver a fantástica vista que de lá se têm, desde a Serra da Arrábida até à de Sintra, e grande parte da zona saloia… inesquecível.

Mais recentemente com a mudança de residência tenho este monte a entrar-me pelas janelas de casa, como pode ser visto na primeira fotografia.

Sobre a história do monte e antiquíssima importância das suas minas consultem o blog já citado.

publicado por blackcrowes às 14:33
Tags:

Fevereiro 28 2011

 

 

 

 

 

A Barragem Romana de Belas (construída no século III), localizada na ribeira de Carenque, tinha 50 metros de comprimento, 7 de largura e uma altura máxima 8 metros, com capacidade de 125.000 metros cúbicos de água, alimentava o Aqueduto Romano da Amadora que, se diz, abastecia a cidade de Lisboa.

 

A sua localização deve-se ao facto de esta região ser riquíssima em água possuindo muitas nascentes.

 

Esta barragem com um paredão e contrafortes em argamassa, denota a preocupação dos romanos com a qualidade de vida da população das suas cidades, infelizmente a construção de um novo aqueduto no século XVIII e de uma estrada posteriormente, vieram destruir e soterrar parte da mesma.

 

Este meu “post” é o primeiro de dois, que quero dedicar à importância secular da água para a cidade de Lisboa, o próximo salienta os monumentos que se encontram espalhados pela cidade que marcam e consagram a esmagadora tarefa de abastecer a capital.

publicado por blackcrowes às 16:50
Tags: ,

"O fim de uma viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." - Saramago
mais sobre mim
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28


pesquisar
 
Visitas desde Fevereiro 2011
free counters
subscrever feeds
blogs SAPO