Setembro 28 2010

 

 

 

 

 

 

 

 

A batalha do Buçaco, travada a 27 de Setembro de 1810, esteve englobada na 3ª invasão das tropas napoleónicas ao nosso país, foi uma tentativa das tropas aliadas do exército anglo português travarem os franceses do Marechal Massena.

Quando se deu a 3ª e ultima invasão, a nossa estratégia de defesa assentava na resistência da praça de Almeida, para tentar deter os franceses num cerco que se desejava prolongado, afim de dar tempo a que se concluíssem as linhas de Torres Vedras. Por uma casualidade, um tiro de canhão da artilharia que cercava a fortaleza, acertou no paiol de munições que estava sob o castelo medieval, a explosão foi brutal dizimando os defensores e destruindo parte das muralhas, assim seguiu-se a rendição, o que permitiu a rápida entrada das tropas napoleónicas no nosso país.

Assim Wellington o comandante do exército dos aliados, decide aproveitar o terreno vantajoso da serra do Buçaco para combater o inimigo, Massena decide enviar duas colunas ao comando dos generais Ney e Reynier para tomarem as alturas.

Amanhece com muito nevoeiro, a serra naquela altura era descarnada, não possuindo a floresta que hoje a cobre, os dois movimentos franceses que deviam ser sincronizados tem um desfasamento de uma hora entre si. Ao chegarem ao alcance das armas portuguesas e inglesas são recebidos pelo fogo de diversas descargas e de cargas de baioneta, mais assaltos franceses são repelidos com pesadas baixas, até que Massena dá ordem para retirar.

Os franceses tiveram 4.486 baixas, incluindo cinco generais. Os Aliados tiveram 1.252 mortos e feridos durante esta batalha que é considerada um modelo defensivo e onde as tropas portuguesas, que até aí não tinham sido postas à prova se portam de maneira exemplar.

Tudo isto estrategicamente de nada serviu pois as tropas francesas descobriram um caminho alternativo de rodear a serra, e Wellington ordenou a retirada do nosso exército para Lisboa para não ficar cercado.

Com o exército aliado retirou a maior parte da população das regiões em que iria passar o exército francês. Foi dada ordem de evacuação de Coimbra, as propriedades agrícolas foram abandonadas, os bens que não podiam ser transportados e podiam servir de algum modo os franceses foram destruídos, era a táctica da terra queimada.

As linhas de Torres Vedras travaram finalmente os invasores, que perante a magnitude dos trabalhos de defesa desistiram e assolados pela fome, pelas populações enraivecidas e pelo exército aliado partiram para não mais voltar.

Hoje em dia não temos da noção do que foi para o nosso pais todos estes acontecimentos, a mortandade de grande parte da população, o saque e a destruição feita pelos franceses, a fuga da família real para o Brasil, com valores e figuras mais importantes da sociedade, o domínio mais tarde feito sobre nós pelos nossos aliados ingleses etc, etc.

Estive presente na recriação histórica da batalha do Buçaco, onde estiveram várias associações de figurantes, de diversos países, aqui ficam algumas fotos.

 

publicado por blackcrowes às 14:51
Tags:

"O fim de uma viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." - Saramago
mais sobre mim
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
24
25

26
27
28


pesquisar
 
Visitas desde Fevereiro 2011
free counters
subscrever feeds
blogs SAPO