Janeiro 07 2016

PC300086.JPG

PC300097.JPG

PC300124.JPG

PC300148.JPG

PC300168.JPG

PC300181.JPG

PC300222.JPG

PC300207.JPG

O Mosteiro de São Lourenço de El Escorial representa o exemplo mais puro do coração castelhano que dava aso ao reinado de Felipe II. O estilo desta obra monumental, iniciada por Juan Bautista de Toledo e terminada por Juan de Herrera em 1563, marcará poderosamente muitas outras edificações dos Austrias Espanhóis. Ao esplendor dos seus catorze pátios, mil portas e duas mil janelas há que somar, aliás, a sua função como Panteão dos Reis de Espanha, desde Carlos I até aos nossos dias.

A fachada principal, situada a Oeste, consta de três portais. O mais importante deles coroado por um frontão com a figura de São Lorenzo e o escudo real de Felipe II, dá acesso ao Pátio dos Reis, que se abre sobre a espectacular porta da basílica, onde David e Salomão, no centro, presidem ao cortejo dos seis reis da Judeia, que se debruçam sobre o pátio. De planta grega com três naves, a basílica tem uma cúpula de 92 metros, construída similarmente à de São Pedro do Vaticano.

O claustro e o Pátio dos Evangelistas fazem a comunicação entre a basílica e o mosteiro. Aqui são de destacar a escadaria principal com frescos na abóbada, a sacristia e as salas capitulares, onde existem pinturas de Tiziano, El Grego, Ribera, Velásquez e Tintoretto.

Na zona palaciana surpreende o contraste entre a austeridade das habitações de Felipe II e o luxo do palácio dos Bourbons Carlos III e Carlos IV, ornamentado com com esplêndidas tapeçarias de Goya, Bayeu e Castillo. A Sala do trono, a Biblioteca e a câmara onde morreu Felipe II, em Setembro de 1598, completam o percurso por este conjunto monumental.

Finalizei subindo ao monte Abantos, na Serra de Guadarrama, para de um miradouro poder admirar este magnifico monumento património mundial...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por blackcrowes às 15:22

"O fim de uma viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." - Saramago
mais sobre mim
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


pesquisar
 
Visitas desde Fevereiro 2011
free counters
blogs SAPO